O Primeiro contato com plug-ins digitais em Masterização.

Em 1992, eu Masterizei o CD do Arnaldo Antunes “Nome” utilizando um Sistema Digidesign Sound Tools I (Avô do Pro Tools atual) , montado em um Apple Macintosh II CI com incríveis 24mb de RAM , HD interno de 40MB e um HD externo de 800MB (Foto).

Essa masterização, que eu considero a minha primeira já como eng. de master, foi um trabalho artesanal e foi realizado no estudio 2 do estudio Art Mix em SP junto com o Arnaldo Antunes durante 1 semana.

Tudo era muito demorado, pois era tudo processado. Não havia insert ainda, apenas audio suite e mesmo assim apenas alguns efeitos, equalizador e Compressor.

Havia um pequeno “Preview” para ouvirmos a EQ e a Compressão , mas era tudo muito na base de acerto e erro, e ainda, às vezes, o processamento digital gerava um “Ruido digital” e tinha que ser tudo refeito, mas já era possivel montar um “Play List” com controle de “Volumes” , “Pan” e espaço entre as Musicas.

“Nome” – Nome – Arnaldo Antunes 1992

O meu Primeiro contato com um limiter digital,foi em 1997 com o Waves L-1 durante a Masterização do CD do Karnak “Umbigo do Mundo”.

Eu utilizava um Sistema Digidesign Pro Master 20 montado em um Macintosh Quadra 650, 32mb de RAM , HD internos de 300MB e e um HD externo de 1GB.

Esse sistema era bem superior ao Digidesign Sound Designer II que substitui o Sound Tools I, meu antigo sistema e era uma estação voltada somente para Masterização de CD em 2 canais, com conversores AD/DA de alta qualidade, um otimo clock e era possivel gravar o audio em 24 Bits ( algo que foi implantado no Pro Tools bem mais adiante por volta do ano 2000).

Estávamos no meio do Processo de Masterização desse CD quando chegou o pacote da fedex com o Waves L1 e o Equalizador Q-10. Eu e o André Abu do Karnak entusiasmados , abrimos o pacote e instalamos no meio da Master.

Começamos a mexer em tudo e foi inacreditável! O André Abu ficou maluco e conseguimos colocar muitos, mas muitos dBs a mais de Volume e Refizemos todas as musicas.

Até hoje eu acho incrível o som desse CD , masterizado somente compressor do proprio pro master 20 e com os Plug-Ins L1 e Q-10 processados, nada de tempo real como hoje, pois continuavamos sem Insert e foi finalizado em PMCD com o Master List CD 2.0 e um gravador Sony CDW-E , conectado ao Macintosh por cabo SCSI.

“Universo Umbigo” e “Velho no Metro” – Universo Umbigo – Karnak 1997

A Partir de 1998 , eu passei a utilizar em minhas masterizações os equipamentos analógicos da Manley para processamento do audio e o Sistema da Sonic Solutions para edição digital, mas nunca abandonei o Waves L2 e nem o Pro Tools e os uso até hoje.

Acho que o resto é História! O L2 acho que é o Limiter mais utilizado no mundo. Eu mesmo usei muito no final de minhas Masterizações de CDs “Pop” e “Rock” um L2 versão RACK.

GLENDA GIRALDI
Atendimento e Marketing

Glenda Giraldi Soila, graduada em produção fonográfica e pós graduada em Music Business pela Universidade Anhembi Morumbi (Sao Paulo, Brasil) e formada em Pro Tools pela Avid Brasil.

Trabalhou como técnica de audio no Teatro da Rotina, por onde passaram grandes nomes da música independente, como Na Ozzetti e Ceumar.

Atualmente cuida das relações públicas da Classic Master Brasil, onde já participou de projetos como Ivete Sangalo, Victor e Leo, Lenine e Chico César e foi responsável por todo o acervo de áudio desde a fundação do estudio.

CARINA RENÓ
Assistente de Masterização (Classic Master Brasil)

Graduada em Propaganda & Marketing pela UNIP e com formação em Produção de Áudio na Academia de Áudio OMID, atualmente cursa Educomunicação na ECA-USP.

Atuou por 7 anos, na produtora Trilha Original Estúdio, adquirindo experiência com produção de áudio para publicidade, teatro, cinema e tv, atendendo programas como Instrumental Sesc Brasil, Super Libris e Sala de Cinema, longas-metragens como Florbela e O Amuleto e espetáculos das cias de teatro Le Plat Du Jour e Pia Fraus.

Desde 2015 é parte da Classic Master nas áreas de atendimento e como assistente do engenheiro de masterização Carlos Freitas colaborou com projetos como Chico César – Estado de Poesia Ao Vivo, Ivete Sangalo – ao Vivo Em Trancoso, Lenine – Em Trânsito, 5 a Seco – Síntese, Banda Mais Bonita Da Cidade – De Cima do Mundo Eu Vi O Tempo, Maria Beraldo – Cavala, Pato Fu – Música de Brinquedo 2, Clara Castro – Caostrofobia, Julia Branco – Soltar Os Cavalos, Paulinho Moska – Beleza e Medo, Cólera – Acorde! Acorde! Acorde!, Luiz Melodia – Zerima e João Bosco – Mano Que Zuera.

NATALIA HERRERA
Ass. de Masterização (Classic Master Latino América)

Natalia Bohórquez Herrera, formada em produção musical e fonográfica da Universidade Anhembi Morumbi (Sao Paulo, Brasil), e como DJ e Produtora pela escola DNA Music (Bogotá, Colombia),  complementou seus estudos na área de Masterização na Berklee School of Music.

Na sua carreira tem trabalhado como assistente de edição e mastering em projetos de artistas nacionais e internacionais, como Carlinhos Brown, Ivete Sangalo, Djavan, Paralamas do Sucesso, Barbatuques, Arnaldo Antunes, Jota-Quest, Lenine, Richard Lane, Buendia, Angela Cervantes, Marinah, entre outros.

Radicada atualmente na cidade de Bogotá, continua trabalhando como assistente de masterização da Classic Master SP e  é representante oficial para Classic Master Latinoamérica.

CARINA RENÓ
Assistente de Masterização
CARLOS FREITAS
Engenheiro de Masterização

Carlos Freitas é engenheiro de áudio há 33 anos e proprietário do estúdio de masterização Classic Master localizado em São Paulo.

Estudou na Berklee School of Music e na Faculdade Casper Líbero. Ao longo de sua carreira trabalhou com grandes artistas nacionais e internacionais, tais como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Toquinho, Tom Jobim, Milton Nascimento, João Gilberto, Roberto Carlos, Djavan, Ed Mota, Marisa Monte, Carlinhos Brown, Arnaldo Antunes, Luciana Souza, Céu, Ivete Sangalo, J-Quest, Titãs, Ira!, RPM, Paralamas do Sucesso, Lulu Santos, Zélia Duncan, Maria Rita, Lenine, Aline Barros, Bon Jovi, Alice in Chains, Seal, Prince, Guns n Roses, Simple Red, George Michael, Filarmonicas de NY , Leningrado, Moscou e Israel, OSESP entre tantos outros nomes.

Em 2016, participou das Olimpiadas do Rio de Janeiro masterizando todo o áudio utilizado na cerimónia de encerramento para a transmissão em televisão e também para a apresentação no Maracanã.

Possui 8 indicações ao Grammy Latino na categoria “Engenharia de Audio” nos anos de 2006, 2009, 2011, 2012, 2013 e 2016 e diversos trabalhos indicados e premiados pelo Grammy e Grammy Latino e, nos anos de 2000, 2002 e 2011, recebeu o prêmio PA promovido por Otavio Brito de “Melhor Profissional de Masterização” e em 2016 e 2017, recebeu o prêmio “Profissionais da Música” na categoria melhor engenheiro de masterização.