O meu primeiro contato com a masterização foi em 1988 e foi por acaso.

Foi na época em que eu ainda trabalhava como Eng. de Gravação nos estúdios Transamérica em SP em 1988 no final da gravação do Álbum ” Todos os Lados” do Capital Inicial.

A Mixagem estava aprovada e pronta para seguir para a fábrica quando o Marcelo Sussekind, produtor do Álbum, me ligou dizendo que queria ouvir comigo novamente todas as músicas e que tinha uma novidade, a gravadora Polygram tinha pedido uma montagem nova para lançar o álbum, além do Vinil, também em CD, algo ainda muito novo e ousado, pois essa mídia era bem nova e desconhecida aqui no Brasil e poucos álbuns tinham sido lançados até então.

Conversamos bastante sobre isso , sobre as possibilidades do CD e começamos a ouvir as músicas mixadas em Fita de 1/4 de polegada na máquina Studer A-80 e s e no final da audição o Marcelo me disse…

“Vamos masterizar?”

Eu disse … o que? ” isso mesmo” respondeu um Marcelo todo empolgado….

“masterizar meu amigo!

você nunca vai se esquecer desse dia, te garanto!”

Preciso de um equalizador, um Compressor e um limiter. Vamos fazer uma equalização e compressão totalmente diferente para o CD.

Quero melhorar o som, que eu já gosto muito, para o CD… se prepare para diversão” disse ele!

Eu tinha comprado um CD Player Discman da Sony em 1987 e tinha apenas 2 CDs, 1 do Police “Ghost in the machine” e outro do “Big Bam Bom”. Eu sabia que o som era incrivelmente melhor que o Vinil, que não continha ruídos, mas eu não conhecia o processo de preparar uma master para CD,.

Ouvimos os 2 CDs que eu tinha e com base em tudo o que conversamos, eu fiz uma nova montagem no próprio tape analógico, mudando a ordem das músicas, pois a montagem original da matriz para o Vinil foi feita levando em conta as limitações do corte de vinil e foi dividido em dois lados e no caso do CD, não tinhamos esse problema.

Montei o nosso SET de masterização na técnica do Estúdio Transamérica, com um equalizador orban 6228 , 1 compressor EMT 156 e um par de Limiter Urei 1176 , alinhei tudo , liguei na saida da maquina Studer no “Rack” de Masterização e comecei sem entender muito bem o que estava fazendo e comecei a fazer as correções de equalização e compressão em todas as músicas gravando tudo novamente em Tape na segunda Studer A-80 com dolby SR.

No começo, apanhei um pouco , mas pegamos logo o jeito e seguimos em frente. Passamos horas fazendo isso!

Equalizador Orban 622B

No dia seguinte, ouvimos tudo e o Marcelo estava muito contente com o resultado.

Eu fiz a nova montagem com o audio masterizado , cuidando das passagens entre as musicas e gravei tudo em um DAT 16BITS 48k e mandamos essa matriz para a gravadora.

Eu fiquei tão encantado com o processo que não parava de pensar nisso! Nos divertimos muito e realmente o ganho geral na mixagem foi enorme!

Nos encontramos novamente em 1997 na Cia de Áudio durante a masterização do CD do Lulu Santos “Liga Lá” e ele me disse: “Não disse que você ia gostar?”.

Marcelo Sussekind na Cia de Audio durante a masterização do CD do Lulu Santos “Liga Lá” – 1997

 

“Todos os Lados” Capital Inicial

Produzido por Marcelo Sussekind

1989 – Polygram

 

GLENDA GIRALDI
Atendimento e Marketing

Glenda Giraldi Soila, graduada em produção fonográfica e pós graduada em Music Business pela Universidade Anhembi Morumbi (Sao Paulo, Brasil) e formada em Pro Tools pela Avid Brasil.

Trabalhou como técnica de audio no Teatro da Rotina, por onde passaram grandes nomes da música independente, como Na Ozzetti e Ceumar.

Atualmente cuida das relações públicas da Classic Master Brasil, onde já participou de projetos como Ivete Sangalo, Victor e Leo, Lenine e Chico César e foi responsável por todo o acervo de áudio desde a fundação do estudio.

CARINA RENÓ
Assistente de Masterização (Classic Master Brasil)

Graduada em Propaganda & Marketing pela UNIP e com formação em Produção de Áudio na Academia de Áudio OMID, atualmente cursa Educomunicação na ECA-USP.

Atuou por 7 anos, na produtora Trilha Original Estúdio, adquirindo experiência com produção de áudio para publicidade, teatro, cinema e tv, atendendo programas como Instrumental Sesc Brasil, Super Libris e Sala de Cinema, longas-metragens como Florbela e O Amuleto e espetáculos das cias de teatro Le Plat Du Jour e Pia Fraus.

Desde 2015 é parte da Classic Master nas áreas de atendimento e como assistente do engenheiro de masterização Carlos Freitas colaborou com projetos como Chico César – Estado de Poesia Ao Vivo, Ivete Sangalo – ao Vivo Em Trancoso, Lenine – Em Trânsito, 5 a Seco – Síntese, Banda Mais Bonita Da Cidade – De Cima do Mundo Eu Vi O Tempo, Maria Beraldo – Cavala, Pato Fu – Música de Brinquedo 2, Clara Castro – Caostrofobia, Julia Branco – Soltar Os Cavalos, Paulinho Moska – Beleza e Medo, Cólera – Acorde! Acorde! Acorde!, Luiz Melodia – Zerima e João Bosco – Mano Que Zuera.

NATALIA HERRERA
Ass. de Masterização (Classic Master Latino América)

Natalia Bohórquez Herrera, formada em produção musical e fonográfica da Universidade Anhembi Morumbi (Sao Paulo, Brasil), e como DJ e Produtora pela escola DNA Music (Bogotá, Colombia),  complementou seus estudos na área de Masterização na Berklee School of Music.

Na sua carreira tem trabalhado como assistente de edição e mastering em projetos de artistas nacionais e internacionais, como Carlinhos Brown, Ivete Sangalo, Djavan, Paralamas do Sucesso, Barbatuques, Arnaldo Antunes, Jota-Quest, Lenine, Richard Lane, Buendia, Angela Cervantes, Marinah, entre outros.

Radicada atualmente na cidade de Bogotá, continua trabalhando como assistente de masterização da Classic Master SP e  é representante oficial para Classic Master Latinoamérica.

CARINA RENÓ
Assistente de Masterização
CARLOS FREITAS
Engenheiro de Masterização

Carlos Freitas é engenheiro de áudio há 33 anos e proprietário do estúdio de masterização Classic Master localizado em São Paulo.

Estudou na Berklee School of Music e na Faculdade Casper Líbero. Ao longo de sua carreira trabalhou com grandes artistas nacionais e internacionais, tais como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Toquinho, Tom Jobim, Milton Nascimento, João Gilberto, Roberto Carlos, Djavan, Ed Mota, Marisa Monte, Carlinhos Brown, Arnaldo Antunes, Luciana Souza, Céu, Ivete Sangalo, J-Quest, Titãs, Ira!, RPM, Paralamas do Sucesso, Lulu Santos, Zélia Duncan, Maria Rita, Lenine, Aline Barros, Bon Jovi, Alice in Chains, Seal, Prince, Guns n Roses, Simple Red, George Michael, Filarmonicas de NY , Leningrado, Moscou e Israel, OSESP entre tantos outros nomes.

Em 2016, participou das Olimpiadas do Rio de Janeiro masterizando todo o áudio utilizado na cerimónia de encerramento para a transmissão em televisão e também para a apresentação no Maracanã.

Possui 8 indicações ao Grammy Latino na categoria “Engenharia de Audio” nos anos de 2006, 2009, 2011, 2012, 2013 e 2016 e diversos trabalhos indicados e premiados pelo Grammy e Grammy Latino e, nos anos de 2000, 2002 e 2011, recebeu o prêmio PA promovido por Otavio Brito de “Melhor Profissional de Masterização” e em 2016 e 2017, recebeu o prêmio “Profissionais da Música” na categoria melhor engenheiro de masterização.