Banda Zil reaviva fusão de jazz e MPB em disco ao vivo que perpetua show gravado em 2016

Por Mauro Ferreira G1

Reagrupada em 2015 para reavivar a fusão de MPB com jazz e world music que apresentou nos anos 1980, a Banda Zil gravou, em 19 de maio de 2016, uma apresentação do septeto no Cultural Bar, em Juiz de Fora (MG).

Três anos depois, o registro do show gera o primeiro álbum ao vivo da banda. Zil ao vivo (MP,B Discos / Som Livre) está sendo lançado neste mês de maio de 2019 em que coincidentemente Zé Renato – um dos integrantes do grupo – lança o primeiro álbum do Boca Livre em seis anos.

Zil ao vivo recicla o repertório do até então único álbum do septeto, o cultuado Banda Zil, lançado em 1987 e reposto em catálogo em 2016 em edição digital.

Tocado com a sonoridade original da Zil, o repertório do disco ao vivo rebobina temas como Ânima (Zé Renato e Milton Nascimento, 1981), Benefício (Zé Renato e Hamilton Vaz Pereira, 1987), Jequié (Moacir Santos, 1966, com letra de Aldir Blanc, 1987), Maromba (Ricardo Silveira e Paulinho Soledade, 1987), Pegadas frescas (Zé Renato e Hamilton Vaz Pereira, 1987), Suíte gaúcha (Marcos Ariel, 1987), Tupete (Zé Renato e Claudio Nucci, 1987) e Zarabatana (Zé Renato, 1981).

Indo além do álbum de estúdio de 1987, a banda aborda no disco Zil ao vivo um tema dos Beatles, Blackbird (John Lennon e Paul McCartney, 1988).

Criada em 1986 e dissolvida em 1988, a Banda Zil se reagrupou há três anos com a formação original do septeto integrado por Claudio Nucci (violão e vocais), João Batista (baixo e vocais), Jurim Moreira (bateria), Marcos Ariel (teclados), Ricardo Silveira (guitarra) e Zé Nogueira (saxofone e vocais), além do já mencionado Zé Renato (violão e vocais).

Zil ao Vivo foi produzido pelo Zé Nogueira, mixado pelo Marcio Gama e masterizado aqui na Classic Master pelo Carlos Freitas.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *