Festival Nave teve Anavitória, Lagum, Melim e Vitor Kley.

O Festival Nave levou ao Espaço das Américas, em São Paulo, nomes da nova MPB. O line-up do evento teve atrações jovens que levaram sons mais suaves e próximos da música popular brasileira às playlists dos mais novos.

Chamado de “o festival das Anavitória”, o evento teve a dupla de cantoras e outras atrações de estilos parecidos como a Banda Lagum, Melim, Victor Kley, Jão, Hotelo e Outro Eu e também participações especiais de Mariana Nolasco, Manu Gavassi, Nina Fernandes, Gabriel Elias, Rubel e Ana Gabriela.

O Nave teve ainda participações especiais de Mariana Nolasco, Manu Gavassi, Nina Fernandes, Gabriel Elias, Rubel e Ana Gabriela.

O Festival será exibido pela MTV em 3 programas. Com Produção de Paul Ralphes, o projeto foi mixado por Victor Farias e Masterizado aqui na Classic Master pelo Carlos Freitas.

Ana Carolina lança em maio EP com músicas inéditas do primeiro álbum de estúdio em seis anos

Edição do disco ‘Fogueira em alto mar’ precede a turnê que será iniciada em junho.

Por Mauro Ferreira G1

Ana Carolina lança em maio um EP com a primeira amostra do repertório inédito do álbum que a artista irá apresentar no decorrer de 2019, ano em que completa 20 anos de carreira fonográfica. O disco se chama Fogueira em alto mar.

Em junho, a cantora, compositora e instrumentista mineira estreia o show da turnê nacional baseada no disco. A turnê também se chama Fogueira em alto mar.

Ana lança o EP – somente em edição digital – mais de um ano após ter começado a dar forma em estúdio, no primeiro semestre de 2018, às músicas que irão compor o primeiro álbum de composições inéditas da artista em seis anos.

Na ocasião, a cantora chegou a trabalhar com o produtor Liminha – piloto de um dos melhores álbuns da artista, Estampado (2003) – e a registrar uma música intitulada Tudo e mais um pouco.

O sucessor do álbum #AC (2013) na discografia de estúdio de Ana Carolina terá 12 músicas, apresentadas paulatinamente em série de três EPs, como é cada vez mais comum no dispersivo mercado fonográfico.

Uma das músicas, Da Vila Vintém ao fim do mundo, foi composta por Ana em parceria com Zé Manoel para saudar Elza Soares. A homenageada participa da faixa em gravação feita em fevereiro deste ano de 2019 na cidade do Rio de Janeiro (RJ).

A Mixagem foi feita pelo Flavio Senna e a masterização aqui na Classic Master pelo Carlos Freitas.

Maria Gadú mergulha nas profundezas indígenas com o single ‘Mundo líquido’

Projetada há dez anos com a canção ‘Shimbalaiê’, artista prepara o quarto álbum de estúdio.

Por Mauro Ferreira, G1

“Mundo líquido” Maria Gadú

Quatro anos após reconstruir a imagem musical em um íntimo e personalíssimo terceiro álbum de estúdio, Guelã (2015), Maria Gadú dá hoje, 22 de abril de 2019, a primeira amostra do quarto álbum da artista paulistana, confirmando e renovando a disposição de fazer música sem compromissos comerciais.

De autoria da própria Gadú, a música Mundo líquido – lançada em single disponibilizado hoje nas plataformas de música e promovido com clipe filmado no Rio Negro, no Amazonas (AM), a bordo da expedição Katerre – é um mergulho da cantora e compositora nas profundezas e belezas de águas e terras que revolvem as raízes da ancestralidade indígena.

Gravado entre fevereiro e março deste ano de 2019, entre estúdios de Salvador (BA) e São Paulo (SP), o single Mundo líquido incorpora cantos do povo indígena Guajajara, captados na Aldeia Maçaranduba, no Maranhão, em fevereiro de 2018.

Lançada dez anos após Gadú ter ganhado projeção nacional com álbum de estreia que enfileirou canções nas paradas, a começar por Shimbalaiê (Maria Gadú, 2009), a música Mundo líquido ganhou forma no estúdio em produção dividida pela artista com Felipe Roseno, que toca percussão na gravação feita com o toque do baixo de Ana Karina Sebastião. Além de cantar, Maria Gadú toca violão, guitarra e synth na faixa.

A Mixagem foi feita pelo Ricardo Mosca e a masterização pelo carlos Freitas aqui na Classic Master.

Ivete Sangalo lança “Live Experience”, novo álbum com registro ao vivo no Allianz Park.

A Gravadora Universal Music lançou nesta sexta-feira dia 12 de abril, o álbum “Ivete Live Experience”, mostrando o grande show que ela realizou em São Paulo no dia 8 de setembro e poucas horas depois, já estava com o primeiro clipe no ar, Teleguiado, faixa que foi gravada, mixada e masterizada durante a realização do show.

Por enquanto, os fãs podem ouvir os áudios nas plataformas digitais, mas o DVD completo será lançado logo na sequência.

Ivete conta com participações de Marília Mendonça, Ferrugem, Leo Santana, Alejandro Sanz e Brian McKnigh. Além de repertório de sucesso da carreira, ela apostou em faixas inéditas. Entre as novas, “O Nosso Amor Venceu”, “Gota no Oceano”, “Mainha Gosta Assim”, “Meu Peito Dispara” e “Essa Distância”.

A Direção de vídeo é de Joana Maz, produção de Radmés Venâncio, gravação e mixagem de Beto Neves e a masterização aqui na Classic Master pelo Carlos Freitas.

‘Prietitud’: o novo single do cantor Colombiano Alexis Play

Já está disponível desde 12 de abril, em todas as plataformas digitais, o lançamento de “Prietitud”, o segundo single de “Llegó La Lírica”, segundo álbum consecutivo do produtor, músico, compositor e artista chocoano Alexis Play.

Esta produção será lançada oficialmente no dia 30 de abril. Prietitud é uma homenagem à estética, cultura, costumes e sons da negritude e da diáspora africana que vive em toda a América e muitas partes do mundo … é um grito para a reivindicação da nossa identidade e tudo o que somos .

Alexis Play Feat. Nidia Gongora & Esteban Copete – Prietitud

“Pretitud” é uma co-produção entre Maestro Esteban Copete Álvarez e Alexis Play, que combinou o bunde do Pacífico Sul colombiano com a estética dos sons eletrônicos contemporâneos do hip-hop, acompanhados pela poderosa voz da mestre Nidia Góngora Bonilla.

“Preititud” foi masterizada aqui na Classic Master Brasil pelo Carlos Freitas com assistência de Natália Borger na Classic Master Latino América em Bogotá.

Zeca Baleiro desmembra álbum de criação coletiva em dois volumes que serão editados em CD e LP

O primeiro volume sai em 3 de maio, sucedendo o ainda inédito single ‘Ela nunca diz’.

Por Mauro Ferreira, G1

Na contramão do mercado fonográfico, já quase inteiramente digital e cada vez mais voltado para singles e EPs de repertórios e conceitos fragmentados, Zeca Baleiro se prepara para lançar um álbum duplo. Com direito a edições nos formatos físicos de CD e LP.

Anunciado em julho de 2018 pelo artista maranhense, o álbum O amor no caos foi gerado a partir de repertório inédito e autoral cuja criação extrapolou a previsão inicial do compositor a ponto de o disco ter que ser desmembrado em dois volumes.

“Estou há um tempo reunido com a banda preparando o álbum, em criação coletiva, do jeito que eu gosto. Eu tinha uma nova safra de canções e a produção foi tão fluente que resolvi lançar o disco em dois volumes”, justifica Baleiro, repetindo o formato duplo que já experimentara há 11 anos com o álbum O coração do homem-bomba(2008), também dividido em dois volumes.

Zeca Baleiro com a banda do álbum ‘O amor no caos’ — Foto: Silvia Zamboni / Divulgação

O primeiro volume do álbum O amor no caos será lançado em 3 de maio. O segundo tem edição prevista para o segundo semestre deste ano de 2019.

O repertório autoral de O amor no caos foi formatado por Baleiro com banda formada pelos músicos Tuco Marcondes, Fernando Nunes, Adriano Magoo, Pedro Cunha e Kuki Stolarski.

Na próxima sexta-feira, 19 de abril, Baleiro lança o terceiro (bom) singledo álbum, Ela nunca diz, canção de lavra solitária cuja letra cita versos de Amor (João Ricardo e João Apolinário, 1973), música do grupo Secos & Molhados.

Capa do single ‘Ela nunca diz’, de Zeca Baleiro — Foto: Divulgação / Saravá Discos

Ela nunca diz sucede os dois singles editados em 2018, Te amei ali (a segunda bela parceria de Baleiro com Roberto Frejat, apresentada em 26 de outubro) e Por minha rua (parceria do artista com o uruguaio Dany Lopez lançada na sequência, em 5 de novembro).

Com inéditas parcerias de Baleiro com Chico César e com Moska no vasto repertório autoral, o álbum O amor no caos será lançado pelo selo do artista, Saravá Discos.

A Mixagem foi feita por Water Costa e a masterização pelo Carlos Freitas aqui na Classic Master.

“Happen” do Cantor Colombiano Esteban Mick revive o synthpop dos anos 80.

monday.com

“Happen” do Cantor Colombiano Esteban Mick revive o synthpop dos anos 80.

O tema bilíngue faz parte de um EP que será lançado este ano.

Termina o mês de março e fecha uma temporada de interessantes lançamentos musicais. O ano de 2019 surpreendeu com a diversidade de músicas que chegaram aos nossos ouvidos, oferecendo um imenso catálogo de sons e composições. Poucos artistas / grupos estão lançando álbuns ou EPs e estão focados em apresentar novas músicas através de singles. 

O desafio em uma era digital em que o imediatismo é o protagonista é criar faixas que consigam permanecer nas mentes dos ouvintes por pelo menos um ano inteiro. Com tanto problema político na Colômbia, é necessário fazer uma pausa e dar play aos artistas que estão por aí tentando criar pistas que possam se tornar parte da história musical do país.

“Happen” – Esteban Mick 

Quem está por trás?  Mick era um membro e criador de “Oh Laville”, mas depois de um tempo ele decidiu começar como solista, encontrando um estilo que combina perfeitamente com o que ele representa como artista. Desde 2012, ele está lançando músicas, Tem um EP chamado Paisajes e, durante todo o ano de 2019, fará a estréia do “Travelling in Time”, seu segundo EP.

Como isso soa? As tendências se repetem e nessa trilha Esteban se refugiou em sons que eram amplamente utilizados há mais de 30 anos. O synthpop sensual está presente no Happen, com uma série de sons experimentais que o artista explorou no estúdio. 

Sobre o vídeo o que? Através do vídeo, o cantor e diretor Miguel Silva, da Shambo Films, quis mostrar como os seres humanos são relacionados por meio de telas. O vídeo tem uma configuração retro que complementa perfeitamente os sons da música. 

Quando escutar? Quando você encontra seu parceiro e beija devagar e com paixão.

Confira o Clipe de “Happen”, masterizado aqui na Classic Master por Carlos Freitas.

Mariana Aydar lança primeiro álbum de forró dividido em quatro EPs

O EP “Veia Nordestina I”, da cantora e compositora Mariana Aydar, chega às principais plataformas de música depois de amanhã. É a primeira parte do projeto de forró de Mariana, que sai pela Natura Musical. Durante o ano, as músicas serão lançadas em quatro levas, que resultarão em um álbum e um minidocumentário de quatro episódios.

“O forró pra mim é um modo de vida. Minha primeira banda profissional foi de forró, meus primeiros vinis, meu primeiro beijo, minha filha é fruto do forró e agora, finalmente, nasce o meu primeiro disco de forró, um forró feito do meu jeito”, diz Mariana

Capa do EP “Veia Nordestina”, de Mariana Aydar.

Os próximos EPs, também com três faixas cada um, chegam em maio e julho. O último, que completa o álbum, vem em outubro. Todos têm produção musical de Marcio Arantes, mixagem de Gustavo Lenza e Masterização do Carlos Freitas aqui na Classic Master.

O minidocumentário, dividido em quatro episódios, é dirigido por Dellani Lima e Joaquim Castro, parceiro de Mariana na direção do documentário Dominguinhos (2014), baseado em quatro temas que rodeiam a história da cantora com o forró.

O primeiro episódio estreia em maio e aborda a chegada do forró a São Paulo e a chegada de Mariana ao forró. Os próximos três episódios, que estreiam no canal do YouTube da artista, serão lançados ao longo de 2019 em junho, agosto e novembro. “Os temas deste projeto são muito de dentro do meu sertão, todo mundo tem o seu próprio sertão: suas tristezas, seus lamentos, suas questões. Onde quer que a gente esteja, não importa a região do Brasil e do Brasil e do mundo, a gente se encontra nesse sertão de dentro”, conclui Mariana.

Veia Nordestina – Mariana Aydar

Malía grava seu primeiro projeto ao vivo, com as participações de Jão e Rodriguinho

A cantora Malía acaba de gravar seu primeiro projeto ao vivo, com a participação especial dos cantores Rodriguinho, do grupo Os Travessos e Jão. Uma das grandes apostas da Universal Music Brasil para o ano de 2019, Malía realizou seu show para convidados no início da noite de ontem (12), no Parque das Ruínas, no bairro de Santa Teresa, Rio de Janeiro.

Tendo como cenário a bela construção arquitetônica, emoldurada por um belo pôr-do-sol, a jovem cantora carioca registrou seu novo projeto, intitulado “Escuta“, que trouxe um repertório de 12 músicas, sendo uma delas, a releitura de “Faz Uma Loucura Por Mim”, da Alcione.

Jão compôs a faixa “Dilema”, que ele apresentou junto a Malía. “Estou muito feliz. Você é uma estrela! Eu sempre disse isso”, comentou o cantor. Rodriguinho, que fez dueto com Malía na canção “Feeling”, composta por seu irmão, Ah! Mr. Dan., Rodriguinho elogiou o talento da jovem artista: “Não faço muita participação especial porque acredito na boa música. Você tem boa música, personalidade, sabe o que quer e onde quer chegar. Tenho certeza que será sucesso!

No final da gravação, Malía transitou cantando e dançando junto de seus convidados, num clima intimista e de muita descontração.

O projeto , produzido por Mauricio Pacheco está sendo masterizado aqui na Classic Master.

Lagum apresenta o Single ‘Detesto despedidas’

31/03/2019 07h00  Atualizado há 2 dias

Por Mauro Ferreira, G1

Grupo formado em 2014 e originado de Brumadinho (MG), município mineiro vítima de recente desastre ambiental, Lagum entrou em estúdio da cidade de Belo Horizonte (MG) para gravar o segundo álbum quando ainda vivia os efeitos da projeção nacional obtida com a postagem, em 30 junho de 2018, de vídeo em rede social do jogador de futebol Neymar.

Em plena Copa do Mundo, na Rússia, o craque brasileiro postou vídeo em que curtia Deixa, música lançada pela banda em 2017 e regravada com a adesão da cantora Ana Gabriela no ano seguinte.

Gravado no segundo semestre de 2018 com 12 músicas, o ainda inédito segundo álbum do Lagum tem lançamento previsto para junho deste ano de 2019. Mas um primeiro singleDetesto despedidas, já entrou em rotação neste último fim de semana de março.

“Escolhemos Detesto despedidas como o primeiro single do álbum a ser lançado porque, além de ser a primeira faixa do disco, é uma música bem impactante. Ela representa bastante o caminho que vamos percorrer nesse ano”, justifica o vocalista Pedro Calais, cantor que forma o Lagum com Otávio Cardoso (voz e guitarra), Jorge (guitarras), Francisco Jardim (baixo) e “Tio” Wilson (bateria).

Ainda de acordo com Calais, o sucessor do álbum Seja o que eu quiser(2016) terá som “mais orgânico” e “melodias fortes”.

Além de Detesto despedidas, outras duas músicas ainda serão apresentadas em singles antes da edição do álbum propriamente dito em 14 de junho.

O Álbum foi produzido por Paul Ralphes, com mixagem de Victor Farias e Masterização do Carlos Freitas aqui na Classic Master.