O Primeiro contato com plug-ins digitais em Masterização.

Em 1992, eu Masterizei o CD do Arnaldo Antunes “Nome” utilizando um Sistema Digidesign Sound Tools I (Avô do Pro Tools atual) , montado em um Apple Macintosh II CI com incríveis 24mb de RAM , HD interno de 40MB e um HD externo de 800MB (Foto).

Essa masterização, que eu considero a minha primeira já como eng. de master, foi um trabalho artesanal e foi realizado no estudio 2 do estudio Art Mix em SP junto com o Arnaldo Antunes durante 1 semana.

Tudo era muito demorado, pois era tudo processado. Não havia insert ainda, apenas audio suite e mesmo assim apenas alguns efeitos, equalizador e Compressor.

Havia um pequeno “Preview” para ouvirmos a EQ e a Compressão , mas era tudo muito na base de acerto e erro, e ainda, às vezes, o processamento digital gerava um “Ruido digital” e tinha que ser tudo refeito, mas já era possível montar um “Play List” com controle de “Volumes” , “Pan” e espaço entre as Musicas.

 

O meu Primeiro contato com um limiter digital,foi em 1997 com o Waves L-1 durante a Masterização do CD do Karnak “Umbigo do Mundo”.

Eu utilizava um Sistema Digidesign Pro Master 20 montado em um Macintosh Quadra 650, 32mb de RAM , HD internos de 300MB e e um HD externo de 1GB.

Esse sistema era bem superior ao Digidesign Sound Designer II que substitui o Sound Tools I, meu antigo sistema e era uma estação voltada somente para Masterização de CD em 2 canais, com conversores AD/DA de alta qualidade, um otimo clock e era possivel gravar o audio em 24 Bits ( algo que foi implantado no Pro Tools bem mais adiante por volta do ano 2000).

Estávamos no meio do Processo de Masterização desse CD quando chegou o pacote da fedex com o Waves L1 e o Equalizador Q-10. Eu e o André Abu do Karnak entusiasmados , abrimos o pacote e instalamos no meio da Master.

Começamos a mexer em tudo e foi inacreditável! O André Abu ficou maluco e conseguimos colocar muitos, mas muitos dBs a mais de Volume e Refizemos todas as musicas.

Até hoje eu acho incrível o som desse CD , masterizado somente compressor do proprio pro master 20 e com os Plug-Ins L1 e Q-10 processados, nada de tempo real como hoje, pois continuavamos sem Insert e foi finalizado em PMCD com o Master List CD 2.0 e um gravador Sony CDW-E , conectado ao Macintosh por cabo SCSI.

“Universo Umbigo” e “Velho no Metro” – Universo Umbigo – Karnak 1997

A Partir de 1998 , eu passei a utilizar em minhas masterizações os equipamentos analógicos da Manley para processamento do audio e o Sistema da Sonic Solutions para edição digital, mas nunca abandonei o Waves L2 e nem o Pro Tools e os uso até hoje.

Acho que o resto é História! O L2 acho que é o Limiter mais utilizado no mundo. Eu mesmo usei muito no final de minhas Masterizações de CDs “Pop” e “Rock” um L2 versão RACK.

 “Universo Umbigo” e “Velho no Metro” – Universo Umbigo – Karnak 1997

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *